Rei Kull

Reis - Humanos

 

  • Grandes Reis

    Os Reis, normalmente heróis ou sábios exercem grande influência em nossa história.

    Os reis podem mover, além de suas armas e outros upgrades, uma comitiva de até 7 personagens (que tenham a ver com sua história ou mitologia: como parentes, aliados, amigos etc).
    Obs.: Para se estabelecer nas cidades do adversário, é necessário a presença de um rei.
 

 Card 083

Área de Batalha:

  1. Água = 10
  2. Terra = 20
  3. Céu = 05

Ataque e Defesa

  1. Sabedoria = 20
  2. Destreza e Força = 35
  3. Poderes = 00

  4. Fogo = 05

 

 Jogo

O NUC Cards é um jogo de mesa. Com tabuleiros que representam as terras dos oponentes e o campo de batalha.
Os personagens existem atemporalmente. Em uma mesma era, personagens históricos, mitológicos e literários se encontram neste jogo.
Um jogo de oxigênio épico de grandes reis, guerreiros notáveis, heróis e anti-heróis, magos poderosos e Deuses entre seres e criaturas...
Cadastre-se e tenha acesso a detalhes das regras e mais cards.
Colecione!

 

Rei Kull

Reis - Humanos

Kull da Atlântida ou Kull o Conquistador é um personagem fictício criado pelo escritor Robert E. Howard. O personagem era mais introspectivo do que a criação subseqüente de Howard, Conan, o Bárbaro, cuja primeira aparição foi em uma história reescrita de Kull.


Sua primeira aparição publicada foi no conto "The Shadow Kingdom", publicado em agosto de 1929 na revista pulp Weird Tales. Kull foi interpretado pelo ator Kevin Sorbo no filme Kull the Conqueror, lançado em 1997.

 

História

 

Kull nasceu em uma era selvagem chamada Era Thuriana, em 15.000 A.C. Ele era um jovem bárbaro, nascido na Atlântida antes desta ter sido submersa pelo mar. Abandonado pelos pais na floresta, o garoto, dando uma de Rômulo e Remo, foi adotado por tigres. Assim, viveu entre animais até que foi encontrado por homems de uma tribo do mar, que mataram os tigres e o levaram consigo.

Convivendo com os selvagens, ele atingiu a idade para se tornar um guerreiro, e o velho feiticeiro da tribo declarou que o espirito do tigre seria seu simbolo e seu protetor. Dias depois, quando Kull e alguns companheiros chegavam de viagem à aldeia, o jovem atlante avistou uma multidão se prepando para queimar uma jovem.

Revoltado ao saber que a nativa seria sacrificada por haver fugido para casar com um pirata, e vendo que seria impossível salvá-la, ele a matou antes que o fogo a torturasse. Considerado um traidor, todos se voltaram contra o rapaz, que mergulhou no mar e fugiu, sendo encontrado por piratas lemurianos. Escravizado pelos saqueadores, ele os serviu como remador, até que a caravela onde se encontrava ancorou próxima ao renio de Valúsia, um dos países que compunham os chamados Sete Impérios.

Fugindo da embarcação, ele foi capturado pelo valusianos e forçado a lutar como gladiador na arena. Não demorou muito e, graças a sua força e coragem, Kull acabou se tornando um soldado, galgando postos como oficial até atingir o posto de comandante da Legião Negra, a tropa de elite do Rei Borna.

Instigado por alguns nobres a assassinar o soberano para que o barão Kaanub assumisse o poder, Kull matou o monarca e decidiu ele mesmo usar a coroa real. Atualmente, o herói é um rei odiado por grande parte dos seu súditos, que o consideram um selvagem, indigno de governar um povo tão civilizado. Seu maior amigo é, por incível que pareça, o lanceiro picto Brule, que nutria uma cordial e fiel amizade ao atlante, apesar da imemorial inimizade entre seus povos. Tem como conselheiro o idosos Tu e como chefe da Legião Negra o bravo Alecto.

Durante sua atibulada vida como rei, ele teve que defender seu trono dos homens serpente e do maligno feiticeiro grondariano Thulsa Doom.

 

 

 


NUC Cards ® 2019
Raciocínio e estratégia.
Um jogo avançado de estratégia underground em geração.

Free Joomla! templates by AgeThemes